Tuesday, October 26, 2004

 

Cimeira Luso Alemã

No passado dia 19 de Outubro, Pedro Santana lopes recebeu em Sintra o chanceler alemão Gerhard Schroeder assumindo os compromissos de Durão barroso do anterior Governo.
Com efeito, os dois estadistas discutiram o problema do Iraque e a continuação da GNR até ao final do prazo estabelecido, mostrando-se o chanceler firme no não envio de tropas para o Iraque.
Quanto ao pacto de estabilidade e crescimento (PEC) ambos são favoráveis a uma maior flexibilidade e defende a sua revisão.
A visita de Schroeder, coincidiu com o aniversário da Câma- ra de Comércio Luso-Alemã.
A Alemanha é o segundo maior cliente de Portugal. E no nosso País é alemão o maior projecto de investimento estrangeiro (a Ford/Volkswagen de Palmela).
A adesão da Turquia à UE foi motivo de conversa de ambos que são favoráveis a uma abertura de princípio, verificando-se se são cumpridas as condições.
Gerard Schroeder aproveitou para convidar Santana Lopes a deslocar-se à Alemanha para assistir ao campeonato do Mundo de futebol em 2006. O primeiro-ministro português revelou, por outro lado, ter o apoio dos alemães para que se realize em portugal a Assembleia Geral da NATO, dentro de dois anos.

 

A voz da pobreza

No meio de pequenos fait divers e na luta pelos interesses individuais, quase não nos damos conta das realidades críticas que só a frieza dos números nos apontam.
Depois de uma revolução de Abril em 1974, também a pensar nos mais pobres e oprimidos, quase não acreditamos nos resultados de uma sondagem realizada pela Universidade Católica para a Rede Europeia Anti-Pobreza (REAPN), que diz que 20% das famílias portuguesas “teme a pobreza e considera que se encontra numa situação de risco”. A sondagem vai mais além afirmando que 7% dos portugueses afirma que o seu agregado familiar vive na pobreza, enquanto 0,7% diz viver na miséria. Pelo contrário, 27,5% afirmam categoricamente que a sua posição é estável e confortável.
Como um mal nunca vem só, o pessimismo estende-se aos filhos dos mais pobres que não acreditam poder sair da situação de pobreza e por isso se tornam dependentes das drogas, do álcool e consequente baixa de escolaridade.
O presidente da REAPN, Pe. Jardim Moreira, é categórico em afirmar que a pobreza deve ser atacada de forma transversal, envolvendo diversos ministérios desde a saúde à habitação…
Estes dados foram revelados no dia em que se comemora o Dia Mundial pela Erradicação da Pobreza, onde os jovens à procura de primeiro emprego são o grupo social mais vulnerável.
A leitura destes dados não nos pode deixar tranquilos. Por outro lado, no sentido de cada um de vós se interpelar sobre o que poderá fazer para mudar o rumo destes dados trágicos que não nos podem deixar indiferentes. Será que cada empresa não poderá admitir mais um funcionário correndo embora o risco de diminuir o lucro no final do ano, mas contribuindo para um problema social que não nos pode passar ao lado? E claro está que o Estado também se não pode demitir. Mas mais do que atribuir subsídios de pobreza ou rendimentos mínimos, deveria criar cursos em áreas onde não existe mão de obra— calceteiros, sapateiros, canalizadores, carpinteiros…
É que mais do que dar o peixe, importa dar a cana para pescar. É tempo de irradicar todas as formas de exclusão social criando um mundo mais justo e socialmente mais igualitário.

Wednesday, October 20, 2004

 

Amor sem limites

Após sete anos da sua morte e um ano da sua canonização, um jornalista-fotógrafo japonês, Morihino Oki, relata um pouquinho da obra caritativa de Madre Teresa de Calcutá, através do livro “Amor sem limites”.
Com jeito, este livro fala de duas décadas de trabalho de Madre Teresa de Calcutá, que nasceu na Macedónia em 1910, fundou as Missionárias da Caridade destinadas a serem as mais pobres entre as pobres…
Na Índia, Teresa de Calcutá abriu uma casa para crianças órfãs — a Casa dos Meninos Sagrados —, uma outra para tratar dos leprosos — a Aldeia da Paz—, e uma outra para acolher os recusados pela sociedade, moribundos e indigentes — a Casa dos Moribundos.
Morihino Oki apaixonou-se pela obra das Missionárias da Caridade, tanto mais que na sua cultura japonesa, cada qual só pensa em si; ora Teresa de Calcutá e as suas irmãs missionárias dedicam-se aos outros, sem quaisquer interesses já que nunca tentaram converter ninguém ao longo dos 24 anos que as acompanhou, mas tão somente ajudar aqueles que delas necessitavam, quantas vezes abandonados por hospitais e pela sociedade…
A religiosa santa recebeu o Prémio Nobel da Paz em 1979 e faleceu em 1997, tendo sido o processo de canonização mais rápido que passou pelo Vaticano.
O livro tem 130 páginas e já se encontra à venda em Portugal.

 

Um quase Golpe de Estado na Guiné

Nesta época em que o não e o sim quase já não existem para dar lugar ao nim, também na estratégia militar guineense vai acontecendo — o golpe é quase golpe.
Com efeito os revoltosos da passada semana mataram o general Verísssimo Seabra e com ele, mais outros 9 oficiais, ao que parece foi vingança étnica, aliás como já acontecera com Ansumane Mané.
Ao que se julga saber teria
sido a pressão internacional a evitar, para já, o avanço do golpe.
No entanto, a morte de 9 militares é a certeza de que os revoltosos querem mais do que denunciar a corrupção que existe no
seio das forças armadas e o clientelismo nas promoções, bem como o pagamento de salários em atraso e melhoria de alimentação.
Também a pressão internacional, nomeadamente do representante do Secretário-Geral da ONU, o moçambicano João Bernard Honwana, tem assim os representantes da CPLP, José Ramos Horta e Ovídeo Pequeno, terá posto água na fervura ficando pela exigência da mudança das chefias militares que não se sabe se os seus actuais detentores estão vivos (refugiados) ou se tiveram a mesma sorte que o general Veríssimo Seabra.
Ainda vamos a aguardar o final, mas para já sabe-se que a continuar assim, dificilmente a Guiné deixará de estar na cauda dos países africanos.
S.

Wednesday, October 06, 2004

 

Gestos Evangélicos

O furacão Jeanne ao passar no Haiti causou mais de 2 000 mortos e 250.000 pessoas ficaram sem casa. No mesmo país, há pouco tempo, as inundações do rio Salei tinham causado cerca de 1 500 mortos.
Então como agora, o papa João Paulo II enviou ajuda para o país. Agora enviou 100 000 dólares para ajudar as vítimas, na compra de bens de primeira necessidade, como seja água, alimentos e medicamentos.
Através do Conselho Pontifício “Cor Unum”, será feita a distribuição de acordo com a Conferência Episcopal do Haiti.
O papa João Paulo II, sempre sensível aos mais pobres, acaba de nos dar mais este sinal evangélico.
S.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?